Como e o que escrever?

No BrasiliaMinha, você mesm@ pode corrigir um erro, acrescentar uma informação, adicionar uma foto ou um vídeo, classificar uma página com uma determinada categoria, criar links para outras páginas já existentes ou até criar novas páginas. O princípio aqui é o de que o conhecimento deve ser construído e compartilhado coletivamente. É só clicar no ícone do lápis aqui ao lado! Experimente!

Mesmo se você nunca colaborou para um site do tipo wiki como a Wikipedia, aqui estão algumas dicas e regras básicas do BrasiliaMinha para que você comece agora mesmo a contar a história da cidade que você faz.

Registre-se!

É recomendável que você se cadastre no BrasiliaMinha para fazer comentários ou alterações no site, embora isso não seja necessário. Depois de criar a conta, você pode clicar em Entrar toda vez que visitar o site.

Como usuário cadastrado, você poderá inserir imagens e vídeos nas páginas, e todas as contribuições que você fizer serão devidamente identificadas.

Dependendo da quantidade e da qualidade das suas contribuições, você pode vir a ser promovido a gerente do site, com mais poderes ainda para moderar comentários e formatar páginas, e poderá até mesmo ser convidado a fazer contribuições e revisões pagas, a depender da disponibilidade de verbas de patrocínio do site. Mas para isso tudo nós precisamos saber que você é você!

A área de discussão

Nós realmente queremos que todas as pessoas se sintam à vontade para escrever e alterar artigos do BrasiliaMinha. Mas pode ser que você ainda não se sinta à vontade para mexer no texto da página. Ou você gostaria apenas de dar uma sugestão, ou compartilhar uma lembrança ou uma opinião pessoal sobre o que leu.

Neste caso, você pode usar a área Discussão que existe ao fim de cada página. Use-a à vontade!

Lembre-se de respeitar os escritores do artigo e os demais leitores, e de não tratar de assuntos que não têm relação com a página. Comentários ofensivos poderão ser apagados. Propagandas não são permitidas e podem causar o banimento de quem publicá-las.

O que escrever?

A ideia central do BrasiliaMinha é escrevermos sobre as curiosidades, especificidades e o cotidiano da ainda breve história do Distrito Federal – o que envolve, inclusive, muitas pessoas e entidades que vieram de outros lugares. Isso faz com que não tenhamos que fazer descrições puramente enciclopédicas, mas sim da relação do objeto ou sujeito de cada artigo com a história da grande Brasília. Por exemplo:

  • Uma pessoa - Se não nasceu aqui, por que veio para a cidade? O que construiu por aqui? Em que lugares de Brasília morou? Onde trabalhou? Com quais outras pessoas na cidade se relacionou como colega de trabalho ou amig@? Quais suas características mais lembradas? Tome cuidado apenas de não criar problemas ninguém: observe as regras de privacidade.
  • Um órgão público federal - Onde foi instalado e quando? Quais foram as suas personalidades emblemáticas? Você ou um parente trabalhou nele? Como é ou foi o clima de trabalho em determinada época? Qual seu papel no desenvolvimento do DF?
  • Uma empresa - Se não foi criada em Brasília, veio para cá quando? Onde foram ou são suas lojas ou escritórios? Quantos brasilienses já empregou? Entre estes empregados, quem trabalhou ali? Quais eram ou são seus principais concorrentes na cidade? Patrocinou esportistas ou artistas locais? Teve algum anúncio ou slogan pelo qual é lembrada?
  • Uma escola - Onde fica ou ficava? Quais foram seus professores mais bem lembrados? Quem estudou nela? Que eventos promove ou promoveu?
  • Uma quadra - Quando foi criada? Quando ganhou asfalto? Que pessoas interessantes moraram nela? Aquela árvore enorme na entrada, quem plantou e quando? Quais as características da vizinhança e dos edifícios? Quais são os eventos mais populares promovidos pela vizinhança? Quais empresas são as mais conhecidas do comércio local?

Lembre-se, apenas, de ser moderado nas opiniões negativas, e não escrever apenas pela sua opinião pessoal, ok?

Nada de Ctrl+C e Ctrl+V!

Não copie textos de jornais e revistas, livros, outros sites, ou de qualquer outro trabalho que não seja de sua própria autoria. Isso seria ilegal e pode causar problemas para você. Todo o conteúdo do BrasiliaMinha é público e pode ser usado livremente, bastando que se cite a origem, mas ainda são relativamente poucos os outros materiais escritos que têm essa mesma licença de uso. Fique atento a isso, também, quando for usar imagens e vídeos.

Isso não quer dizer que não se possa usar de forma alguma material de outras fontes. Sempre que possível, entre em contato com o autor para pedir autorização de uso, se isso for exigido. Quando for citar algum trecho de um material, use citações ou notas de rodapé.

Estilo

O BrasiliaMinha não é a Wikipedia, apesar dos pontos em comum. Isso significa que o site não tem o compromisso de ser uma enciclopédia e nem de usar a mesma linguagem essencialmente técnica e objetiva. O perfil de uma pessoa importante para a cidade, ou um artigo sobre uma empresa ou um parque, pode sim ser um texto mais leve e divertido. Só não exagere no uso dos adjetivos e nas impressões pessoais. Em outras palavras: informação é mais importante que opinião, mas não é preciso ser quadrado.

Observe, ainda, as regras de privacidade usadas no site. Não devemos criar ainda mais riscos para a segurança e a tranquilidade das pessoas.

A parte técnica

Você pode fazer mudanças e criar páginas em qualquer aparelho conectado ao BrasiliaMinha. Em um dispositivo móvel como um celular ou um tablet, em uma posição vertical que deixe a tela estreita, as ferramentas de edição da página e os menus do site ficam escondidos até que você toque o sinal de “+” logo acima da logomarca.

Em um computador, os menus e a área das páginas ficam separadas por uma faixa com botões. Observe o primeiro botão: o ícone dele indica o que você pode fazer com a página e o que vai acontecer se você clicar nele.

Ícone Significado e ações
O ícone do “lápis” é mostrado para páginas já existentes que você pode alterar. Clicar no botão vai levar você a uma página com um campo para editar o texto. Os editores usados no BrasiliaMinha serão explicados logo adiante.
O ícone com o “sinal de mais” aparece quando você procura uma página no campo Pesquisar e não existe uma página com o mesmo nome, ou quando você clica em um link para uma página que não tem nenhum conteúdo. Clicar no botão vai permitir que você crie essa página.
O ícone do “olho”, que é exibido por exemplo na página de edição de um texto, significa que você não pode alterar o conteúdo da página que está vendo. Clicar no botão fará com que você visualize a página.
O ícone de “código fonte” significa que você não pode fazer alterações na página. Clicar no botão vai permitir apenas que você veja a formatação da página em HTML.

Também num computador, passar o mouse por cima dos botões faz surgir na tela dicas sobre suas funcionalidades.

Ei, aqui diz que não posso mexer na página!

Algumas páginas do BrasiliaMinha só podem ser alteradas pelo administrador ou pelos editores gerentes do site: são, por exemplo, as páginas de ajuda como esta.

A tela de edição

Se você puder criar ou alterar uma página e clicar no botão ou link para fazê-lo, será mostrada a tela de edição da página. O principal campo desta tela é o editor de texto. O BrasiliaMinha oferece dois editores:

  • O Editor Visual é mais ou menos parecido com programas como Word e Google Docs, o que facilita a utilização por iniciantes. Muitos dos seus botões são facilmente reconhecíveis por quem usa programas editores de texto, e passar o mouse por cima dos botões faz surgir na tela dicas sobre suas funções. Há porém dois problemas reconhecidos: o editor às vezes fica lento, e, principalmente, ele ainda é relativamente experimental e pode apresentar problemas. Veja a página de ajuda do Editor Visual para conhecê-lo melhor.
  • O Editor de Código é recomendado para quem já tem alguma experiência, porque ele mostra o texto com as marcações usadas para criar efeitos de fonte, tabelas, alinhamentos, etc. Isso pode parecer complicado no começo, mas rapidamente se torna fácil. O editor é muito rápido, muito estável e tem algumas funcionalidades exclusivas. Você pode conhecê-lo melhor vendo a página de ajuda do Editor de Código.

Logo abaixo do editor há um botão que permite alternar entre um e outro.

Primeiro escreva, depois aplique formatação

Seja qual for a sua escolha de editor, a dica mais importante é: simplesmente escreva, sem se preocupar com formatação, links, efeitos, etc. Só depois que você terminar sua redação, aí sim, selecione os trechos que você desejar e use os botões para aplicar negrito ou itálico, criar links, transformar linhas em títulos e entretítulos, etc.

Isso é o que funciona melhor tanto com o Editor Visual como com o Editor de Código. E assim você pode se concentrar no conteúdo em si. Não se preocupe se o visual da página não sair lá tão bem quanto você imaginava: em pouco tempo, algum dos gerentes do site podem arrumar tudo para você.

Uso de etiquetas (tags)

Você pode observar que, no fim de alguns artigos, existem “etiquetas” com palavras-chave que, ao serem clicadas, mostram uma lista de outras páginas que usam a mesma etiqueta.

Esse é um recurso importante e muito útil que permite que as páginas sejam localizadas e agrupadas facilmente. No Editor Visual, há um botão para que você inclua as palavras-chaves no fim do artigo. No Editor de Código, você pode fazer o mesmo inserindo, como última linha do artigo, um código como este:

{{tag>"palavra chave 1" "palavra chave 2" "palavra chave 3"}}

Explique suas mudanças

Logo abaixo da janela do editor há um campo com o título “Resumo da Edição”. Ele serve para que você possa explicar rapidamente quais alterações e correções você fez na página. Utilize-o.

Se você fizer apenas uma correção simples, você pode apenas clicar na caixinha para marcar “Mudanças pequenas” e não descrever as alterações.

Xi... Estraguei a página!

Calma. Se as suas alterações causaram mudanças indesejáveis no visual da página, ou se você acha que não ajudaram realmente a melhorar o texto (autocrítica é útil, realmente), existem maneiras para recuperar a versão anterior da página. Isso é mais um motivo para você não ter medo de tentar!

Outras formas de colaborar

Você pode participar do BrasiliaMinha mesmo sem ter a sensação de ser um bom escritor. Existem várias formas de colaborar com o site, como as seguintes:

  • Fotografia e ilustração - Imagens são sempre excelentes para tornar páginas da internet mais interessantes. Você pode acrescentar fotos ou desenhos para uso geral nas páginas do site. Revire seus álbuns e pastas para encontrar belas fotos das paisagens do DF, do Lago Paranoá, da sua rua ou sua quadra, dos parques e das pontes!
  • Doação ou patrocínio - O BrasiliaMinha depende de voluntários, mas com alguma verba seria possível contratar jornalistas, historiadores, ilustradores e escritores profissionais para aumentar a quantidade ou a profundidade de nossos artigos.
  • Tradução - Está em testes a adoção de um mecanismo para gerenciamento e organização do conteúdo do BrasiliaMinha em outras línguas. Se você acha que pode colaborar, entre em contato!
  • Divulgação - O potencial de Facebook, Twitter e outras redes sociais para despertar o interesse das pessoas no BrasiliaMinha é extremamente bem vindo!


Discussão

Caio d´Arcanchy Bandeira de Mello, 2016/06/21 00:18
Pra quem gosta de Brasília: você sabia que a terceira ponte do Lago Sul foi a única das três existentes planejada pelo urbanista Lúcio Costa?
Que a ponte Costa e Silva começou a ser construída em 1969 e só foi inaugurada em 1976 por causa de diversos problemas estruturais que fizeram com que a obra fosse abandonada?
Que a Ponte Presidente Médice (Gilberto Salomão) foi construída às pressas em 1973 (concluída em 6 meses), e também sem ter sido planejada, por causa dos problemas que eternizavam a construção da Costa e Silva?
Que a ponte Costa e Silva, projetada por Niemeyer, se chamaria Ponte Monumental, segundo escolha do arquiteto?
Li uma dissertação de mestrado (Roger Fonseca, UnB, 2007) sobre isso porque pesquisava imagens da época em que a ponte Costa e Silva só tinha 2 faixas de rolamento com um canteiro no meio, algo que faz parte de minha memória de infância.

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=867437466623834&set=pcb.867437629957151&type=3&theater
Caio d´Arcanchy Bandeira de Mello, 2016/06/21 00:15
Brasília completava 31 anos em 1991. O comercial comemorativo reuniu grandes nomes da música candanga, como Zélia Duncan, Cássia Eller, Dinho Ouro Preto, Renato Matos, Toninho Maya, entre outros. Relembre!
https://www.youtube.com/watch?v=zwDU-y4zkng
Insira seu comentário:
Y᠎ L X O B