TV Alvorada

Uma das três primeiras emissoras de TV de Brasília, a TV Alvorada, no canal 8 em VHF, funcionou de 1960 a 1970, quando foi vendida e se transformou em TV Capital. Foi criada pela TV Rio e por isso fazia parte da rede Emissoras Unidas, que em 1967 passou a se chamar Rede de Emissoras Independentes e unia a emissora carioca com a TV Record de São Paulo. Aparentemente, não tinha ligação com a contemporânea Rádio Alvorada.

Segundo o jornalista Cláudio Ferreira e o artigo sobre a emissora na Wikipedia em português, a emissora foi originalmente instalada em um apartamento residencial da 304 Sul ou da 104 Sul, onde teria permanecido até 1965. Não foram encontrados documentos da emissora que comprovem o endereço neste período, mas o próprio diretor da TV Rio na época, Walter Clark, teria declarado que “era um apartamento de três quartos, com pé direito de pouco mais de dois metros, um absurdo total em matéria de instalação de TV. Você saía do estúdio e sentia o cheio de bife que a vizinha estava preparando para o almoço”.

O primeiro diretor da emissora em Brasília foi José Acrísio de Góes Bezerra e a inauguração da emissora teve, além da cobertura da festa de inauguração da cidade, a apresentação de Dedé Santana, futuro membro do grupo Os Trapalhões, e sua então esposa Ana Rosa.

Susto a cores

Deu o que falar na época um incidente que fez a TV Alvorada ser, de fato, a primeira emissora brasileira a transmitir televisão a cores abertamente ao público, em 7 de agosto de 1969, durante o programa de Jean Pouchard. Por incrível que pareça, a transmissão – de propagandas de cigarros e cervejas em inglês – exibia tons de cores, principalmente vermelho e azul, nos aparelhos de TV em preto e branco. Tratava-se de uma invenção do norte-americano James F. Butterfield, usando efeitos de percepção subjetiva de cores1)2)3).

O sistema havia recebido o nome comercial de Color-Tel e uma empresa chamada Alton Promoções o representava no Brasil4). Dois meses depois o mesmo sistema foi demonstrado na Austrália, onde era representado pela Fremantle International5).

Na época, a revista Veja noticiou o episódio dizendo que “o Color-Tel só funciona nos aparelhos que estejam em salas iluminadas por lâmpadas incandescentes. Essa TV precariamente colorida serviu para quebrar a monotonia em que Brasília mergulhou desde a decretação do recesso do Congresso”. Segundo os cientistas do sistema, cerca de 10% das pessoas não poderiam enxergar as cores pelo método Color-Tel.

Em setembro do mesmo ano, o Jornal do Brasil anunciou que o Color-Tel seria usado experimentalmente no programa Bibi ao Vivo no canal 6 do Rio de Janeiro, e mencionou que o primeiro teste do sistema no Brasil foi mesmo a transmissão da TV Alvorada: “Isso motivou total congestionamento dos seus telefones, tal a quantidade de telespectadores que informavam à emissora o que viram em seu receptor de imagem comum, coisa que consideravam inacreditável”6).

Programas

Informações e gravações da programação da TV Alvorada são raríssimas. Consta que Ana Rosa também fez, por pouco tempo, um dos primeiros programas da TV Alvorada – o Circo de Revistas Real, um teleteatro ao vivo.

Um programa de crônica social era apresentado por Jean Pouchard, nome artístico de Mauro Valverde, que havia sido colunista social do jornal Diário Carioca.

Na revista Brasília, uma coluna sobre a nascente televisão da capital, assinada por Norton de Camargo, apontou que “a TV Alvorada, embora com sua programação toda elaborada à base de videoteipe, é sem dúvida uma das mais procuradas pelos sintonizadores. É pena que a sua parte técnica não venha correspondendo plenamente. Distorção na imagem e ruídos estranhos contribuem bastante para este estado de cousas”.

Esta Noite Se Improvisa, programa musical apresentado por Blota Jr., era uma das produções da TV Record de São Paulo que eram transmitidas pela Alvorada em função de sua filiação à rede Emissoras Unidas. Ia ao ar às sextas-feiras, em videotape, geralmente muito depois de sua exibição na emissora paulistana. Começou a ser veiculado por volta de 1965.

Madureza Ginasial, produção da Editora Abril Cultural com a Fundação Padre Anchieta, de São Paulo, e apoio de alguns ministérios, era uma série de programas educativos para rádio e televisão publicados em paralelo com fascículos vendidos nas bancas. A TV Alvorada era uma das emissoras que veiculavam o curso em 1970, que também ia ao ar pela TV Nacional.

Pessoas

Referências

Discussão

Insira seu comentário:
H Y U​ T J